quinta-feira, 4 de abril de 2013

Casais que duram...

"Acho tão bonito casais que duram. Não importa o tempo, o que vale é a intensidade. Querer estar junto vale muito mais do que estar junto há 20 e tantos anos só por comodidade. Sei que estou falando obviedades, mas hoje vi um casal de velhinhos na rua. Acho que o amor, quando é amor, tem lá suas dores bonitas. A gente vê uma cena e o coração fica emocionado. Nos dias de hoje, com tanta tecnologia, com tanta correria, com tanta falta de tempo, com tanto olho no próprio umbigo e nos próprios problemas, com tanta disputa pelo poder, pelo dinheiro, por ter mais e mais, sei lá, acho bonito ver um casal de velhinhos na rua. A mão, enrugadinha, segura a outra mão. A outra mão, por sua vez, segura uma bengala. Falta equilíbrio, sobra experiência. Falta a juventude, sobra história para contar. Falta uma pele lisa, sobram marcas de expressão que contam segredos. Envelhecer não é feio. Em tempos de botox, a gente devia olhar um pouco para dentro. De si. Do outro. Do amor."

Clarissa Corrêa

9 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  2. muito lindo realmente..eu também vi semana passada voltando da faculdade..um casal de velhinhos de mãos dadas..conversando e dando risada..a coisa mais linda.!

    ResponderExcluir
  3. Lindíssimo! Você falou TUDO!

    ResponderExcluir
  4. Em uma viagem que fiz me chamou particularmente a atenção em Dublin vários casais idosos nas mesas dos pubs, tomando o pint de guinness. Achei sensacional primeiro a prática de os homens estarem com suas esposas, pegando as bebidas para elas após talvez 40 anos de casados, um nítido gesto de afeto; segundo que, apesar da idade avançada, eles estavam de fato curtindo, como ser fossem uma turma de adolescentes. Só que todos de cabelos brancos e uma vida de histórias pra contar.

    ResponderExcluir
  5. Lindo! Penso exatamente assim, meus avós foram casados por 42 anos, assim que ele faleceu 8 meses depois ela se foi, de saudade, de tristeza, de vazio. Meu exemplo, a sua ausência ainda dói, mais de 15 anos depois.

    ResponderExcluir